The Blacklist (1ª temporada)

Logo no começo dessa temporada de séries, uma que me chamou a atenção foi The Blacklist, bastando apenas um comercial, um breve trecho, para poder dar uma chance para a nova criação de Jon Bokenkamp, que, em um primeiro momento, lembra CSI, com um caso por episódio e que, às vezes, tanto faz se acompanhamos um ou dez episódios, ainda seremos capazes de acompanhar a história sem nos sentirmos perdidos ou atrasados, porém essa série parecia ter algo diferente.

Basicamente, a série gira em torno de Raymond Reddington (James Spader) – ator que foi indicado ao Globo de Ouro 2014 na categoria série dramática e que será o vilão Ultron em Os Vingadores 2: A Era de Ultron – um dos criminosos mais procurados do FBI, que um dia, de forma misteriosa decide se entregar à agência, oferecendo uma lista de importantes nomes da comunidade do crime, como políticos, mafiosos, hackers e espiões. Seu desejo é auxiliar na captura de tais criminosos a cargo do responsável pela Unidade de Antiterrorismo, Harold Cooper (Harry Lennix), fazendo apenas uma exigência: só comunicar-se com a agente novata Elizabeth Keen (Megan Boone). Aparentemente, não há uma ligação entre os dois e Red também não revela – em um primeiro momento – o motivo dessa preferência, mas, ao mesmo tempo, torna-se um dos pontos centrais do enredo.

A agente Keen e o FBI ficaram relutantes quanto à lista e às revelações do criminoso, mas passaram a agir conforme as informações privilegiadas de Reddington, que conta uma história a cada episódio, e, na verdade, elabora um grande quebra-cabeça, sendo auxiliados pelo agente Donald Ressler (Diego Klattenhoff), por Cooper e Red, conseguindo solucionar cada caso com bastante dificuldade.

the-blacklist-season-1-1

Em paralelo à busca dos criminosos mais procurados do planeta, surgem outros problemas na vida de Lizzy (como Red a chama), como o possível fato de seu marido, Tom Keen (Ryan Eggold), ser um espião, mas essa teoria é deixada de lado em um primeiro momento, retornando depois e sendo bem desenvolvida na trama.

Conforme os criminosos vão sendo descobertos e seus esquemas revelados, vemos que Reddington é a peça chave para todos os casos e isso começa a ficar evidente a partir do episódio 9 – Anslo Garrick nº. 16 -, que foi dividido em duas partes e é um dos melhores eventos da temporada. Anslo Garrick junto com uma equipe de mercenários invade a base secreta da CIA, onde mantinham Red preso e iniciam um conflito violento, com alguns feridos e outros mortos, mas, na verdade, o grande mandante da operação é Alan Fitch (Alan Alda), antigo colega de trabalho, que afirma para Reddington que ele não é confiável e a sua ligação com o FBI pode ser prejudicial para muita gente.

A segunda parte da temporada focou as relações Keen-Red e Keen-Tom e os casos foram ficando mais sombrios, como no episódio 18 (Milton Bobbit – No. 135), em que Red investiga sobre uma possível informante de dentro da CIA e encontra o possível nome de Meera (Parminder Nagra), colega de trabalho de Keen, que foi ameaçada e começa a repassar informações secretas para o criminoso tentar limpar o seu nome. Depois disso, não demora muito para Red encontrar o informante dentro da CIA, se livrando dele rapidamente para voltar a trabalhar com Keen.

Já a relação de Lizzy com Tom começa a se modificar: Keen começa a desconfiar de certas atitudes de seu marido, principalmente quando uma colega de trabalho dele – Jolene Parker/Lucy Brooks (Rachel Brosnahan) – desaparece de forma misteriosa e, determinada a desvendar o mistério, começa a seguir os passos do seu marido e descobre o que não queria: ele é realmente um espião e toda a sua vida de casada era uma mentira. Porém, ela precisa esconder este fato ao máximo para conseguir reunir provas contra ele.

the-blacklist-season-1-2

Liz, cansada de tudo, resolve dar um basta em sua carreira como agente, mas, ao decidir isso, Reddington foi levado para uma prisão isolada do mundo, onde ninguém saberia de seu paradeiro, fato que fez Keen recuar na sua ideia e voltar a ativa juntamente com o FBI decidindo ir atrás do verdadeiro culpado por tudo: Berlin, a mesma pessoa que tem perseguido Red por todo esse tempo e também responsável por ter empregado Tom nessa caçada pela sua “mulher”.

Na Season Finale, ocorrem as mortes de Tom e Meera, surpreedendo, de certa forma, uma vez que os dois personagens tiveram certo destaque durante a temporada. Entretanto, a pergunta que todos que assistiram ao primeiro episódio se perguntavam era: Por que Red escolheu Elizabeth Keen? Essa pergunta talvez só seja respondida na próxima temporada, o que pode até ser bom para desenvolvimento do enredo. O grande vilão, Berlin, é apresentado nos minutos finais, indicando que a caçada vai continuar intensa na próxima temporada, considerando que ele fez tudo isso de forma indireta. Vamos imaginar o que ele pode fazer botando “a mão na massa” e aguardar para ver o desenrolar de toda essa trama cheia de suspense, ação e drama.

Ficha Técnica:
The Blacklist – 1ª temporada (2013/2014)
Gênero: Ação – Espionagem – Suspense – Drama
Criador: Jon Bokenkamp
Elenco: James Spader, Megan Boone, Diego Klatenhoff, Harry Lennix, Ryan Eggold, Parminder Nagra, Alan Alda

the-blacklist-season-1-3