Resenha – Batman vs Superman: A Origem da Justiça

Depois de anos ensaiando um encontro entre dois dos mais icônicos super-heróis de todos os tempos nos cinemas, DC e Warner finalmente fizeram o sonho dos fãs acontecer e de quebra ainda tivemos a participação da Mulher-Maravilha. Mas, então Batman vs Superman: A Origem da Justiça faz jus a espera? Bom, a resposta é sim e não, conforme explicarei melhor.

O filme trata primordialmente das repercussões dos acontecimentos de Homem de Aço, onde Superman teve que enfrentar General Zod afim de salvar o planeta de uma iminente destruição. Contudo, os efeitos colaterais da batalha foram devastadores com milhares de vidas perdidas, colocando em xeque para alguns a posição do Superman como herói. O aparecimento de um ser tão poderoso fez com que Lex Luthor iniciasse pesquisas com a tecnologia kriptoniana visando encontrar alguma fraqueza ou algum tipo de arma capaz de parar o Homem de Aço. Enquanto isso, Bruce começa a ter o mesmo pensamento… Tendo presenciado pessoalmente a destruição causada por Superman e Zod, ele decide que também é necessário deter a ameaça que um dia o Super pode vir a ser.

batman-superman-wonder-woman

Sem entregar qualquer spoiler, essa é a sinopse básica do longa, mas no decorrer das 2 horas e meia de filme somos apresentados a inúmeros conceitos e possibilidades que a DC visa propor em seus futuros filmes. Tal excesso acaba prejudicando bastante a progressão natural da história em diversos pontos, pois ao invés da preocupação em exibir um filme coeso e gratificante ao público, os produtores preocuparam-se demais em preparar o terreno para futuras produções.

Contudo, tivemos também pontos fortes e que satisfarão aos fãs. Ben Affleck foi uma grata surpresa como Batman/Bruce Wayne, mesmo que essa versão do personagem seja bem mais violenta e diferente do que vimos antes nos cinemas. Gal Gadot como Mulher-Maravilha aparece pouco, mas o suficiente para demonstrar que tem tudo para marcar seu nome. Jesse Eisenberg interpretou Lex Luthor de forma completamente distinta de tudo o que conhecemos do personagem e isso promete causar certo rebuliço, entretanto creio que este Lex, o qual é inteligente, socialmente disfuncional e um tanto quanto psicótico, funcionou e funcionará bem para este universo. E, também tivemos Jeremy Irons como o Alfred mais badass que já vimos nos cinemas.

batman-bruce-affleck

O tom do filme é exatamente aquilo que se imaginava, bem cinza, praticamente sem qualquer humor e recheado de simbolismos religiosos. Nada contra esta abordagem, mas poderiam ao menos misturar um pouco mais outros elementos neste meio. Outro ponto que certamente me incomodou foi a insistência do diretor Zack Snyder em fazer qualquer cena parecer épica com uso exagerado de slow motion (mesmo simples caminhadas) e assim como de sequências de sonho.

Enfim, Batman vs Superman não é tudo o que esperávamos, mas tem seus méritos, principalmente nas cenas de ação, mais dinâmicas e menos cansativas do que em Homem de Aço, na apresentação de Batman, revelando rapidamente seu passado (ficando só no básico e suficiente para o entendermos melhor) e correlacionando o início do filme com os acontecimentos de Homem de Aço. Porém, ao deixar o foco de lado e exagerar em pavimentar o universo cinematográfico DC o longa deixou de ser alcançar todo seu potencial. Melhor seria se não fosse a “Origem da Justiça”, mas apenas Batman vs Superman.

 

Ficha Técnica

Batman V Superman: Dawn Of Justice – 2016
Gênero: Ação, Aventura
Duração: 151 minutos
Direção: Zack Snyder
Roteiro: Chris Terrio, David S. Goyer
Elenco: Henry Cavill, Ben Affleck, Amy Adams, Jesse Eisenberg, Gal Gadot, Diane Lane, Jeremy Irons, Holly Hunter, Lawrence Fishburne

batman-v-superman-lex-luthor-jesse-eisenberg