Resenha – O Pequeno Príncipe

Em pleno dia chuvoso, entre escolhas super-produzidas uma imagem dourada com um pequeno garotinho loiro de capa chama a atenção: A adaptação do clássico livro “O Pequeno Príncipe” de Antoine de Saint-Exupéry para o filme animado dirigido por Mark Osborne (Kung Fu Panda).

O Pequeno Príncipe é um livro publicado em 1943, pelo escritor Antoine de Saint-Exupéry. É o mais vendido em língua francesa no mundo e o terceiro mais traduzido no mundo. A adaptação cinematográfica estreou em telas brasileiras 20 de agosto de 2015. E hoje finalmente pude assistir.

É incrível como uma história com 72 anos é tão atual. Como a felicidade não material é algo estranho. Como o mundo está repleto de individualismo, falta de humor e de pequenos gestos de afeto e carinho ao próximo. Como as crianças estão cada vez, menos inocentes e livres.

pequeno príncipe 2

É preciso que eu suporte duas ou três lagartas, se eu quiser conhecer as borboletas.” (O Pequeno Príncipe)

A adaptação é inovadora, dentro de uma mesma história duas técnicas de animações que com leveza nos relembram a criança que existem em cada um de nós, e que por muitos, esquecidas. Entre o clássico stop-motion, animações em 3D e ilustrações do autor somos mergulhados em mundos, cidades e meteoros cheios de mensagens que irão fazer crianças se divertirem e adultos chorarem.

O filme é recomendado para todas as idades, quanto mais velho maior a recomendação, os que já conhecem a história (vão se emocionar) e os que não conhecem (vão se surpreender com as simples lições do que é essencial à vida).

pequeno príncipe 3

 “Foi o tempo que dedicastes à  tua rosa que fez tua rosa tão importante.” (O Pequeno Príncipe)

Ficha Técnica

The Little Prince – 2015
Duração: 110 minutos
Gênero: Animação, Fantasia
Diretor: Mark Osborne