Resenha – Designated Survivor

Durante o Estado da União, um membro do gabinete é levado a um local sigiloso. No caso de um ataque catastrófico ao governo dos EUA, esse membro do gabinete se torna o novo Presidente. Ele é  conhecido como “Sobrevivente Designado”, que é exatamente o nome da série.

Resumindo, o mais renegado da história é o cara que vai presidir tudo.

designated-survivor-1

Jack Bauer dá lugar a Tom Kirkman, novo personagem de Kiefer Sutherland que é o Secretário de Urbanismo e Reforma Habitacional e que é o membro do gabinete escolhido para, caso aconteça algum atentado contra o Presidente e todo alto escalão dos Estados Unidos no Capitólio, tome as rédeas da situação e seja o novo presidente, reorganizando o caos instaurado.

O mais interessante deste piloto é que o personagem é o mais perdido da série. Ele chega bem aleatório de moletom e tênis na casa branca, porque ninguém fica esperando que ocorra um ataque, muito menos esperando arrumado de terno e gravata. Temos aí um toque inteligente da produção. E quando achamos que ele vai tomar uma iniciativa pra controlar o caos que se formou porque as pessoas não têm um líder, ele simplesmente se tranca no banheiro e começa a vomitar.

boom

Em meio a um episódio tenso, eles ainda tem tempo de uma que outra brincadeira pra descontrair um pouco, mas num geral ele lida bastante com a tensão de um pós ataque e das manobras políticas que o novo Presidente precisa fazer. Em linhas gerais, parece ser uma série mais de gabinete do que de ação, porém ainda não dá pra saber só com esse episódio.

Temos rostos conhecidos, mas é aquele conhecido que nem tanto, como a Natascha McElhone que fez “O Show de Truman” e esteve em filmes e séries de menor evidência, e Kal Penn que tem uma vasta experiência em séries, tendo trabalhado no próprio “24 horas”, em “House” e em “How I met yout mother”, só para citar os mais conhecidos.

160920-designated-survivor-tom-alex

O fato é que o piloto só jogou algumas informações essenciais que precisávamos saber. Porque Tom Kirkman assumiu a presidência, justo o que era o renegado; como as coisas vão se articular com gente querendo derrubar ele a todo custo, e ainda deixa uma ponta de que o serviço não foi finalizado, e que vão atacar de novo.

Se isso é material suficiente pra 22 episódios sem ficar cansativo e pendendo pro lado burocrático e maçante, só conferindo mais alguns episódios pra saber, mas se fosse para apostar, provavelmente seja totalmente diferente de 24 horas em termos de ação. A Netflix está disponibilizando os episódios todo domingo, mas a ABC já conta com 5 episódios.

A ideia é boa, só talvez não seja boa o suficiente.