Resenha – Coração de Aço

Coração de Aço é romance escrito por Brandon Sanderson e lançado pela Editora Aleph neste ano como parte de uma trilogia chamada Executores.

Sanderson é conhecido pelo público internacional (e também no Brasil) como um dos autores mais prolíferos da atualidade. É o autor da famosa saga Mistborn, publicada pela Editora Leya e que já tem sete títulos publicados lá fora.

Na trama de Coração de Aço, sem explicação, alguns seres humanos tornam-se super-heróis (referidos na obra como Épicos) com poderes iguais aos que vemos nos protagonistas dos filmes da Marvel: super força, levitação, Ilusionismo, magia, entre outros. O conflito se inicia aí: ao invés de serem ‘heróis’, estes humanos aprimoram tanto seus poderes que acabam virando ditadores do mundo. Nesse primeiro volume a trama toda se passa em Nova Chicago, que é dominada por Coração de Aço e seus capangas.

David, um garoto que viu seu pai ser morto pelo Coração de Aço, é o protagonista da história. Ele se junta ao grupo especializado em matar os Épicos chamado de Executores. Dentro desse grupo, David encontra outros personagens e, a partir de então, ação é frenética do início ao fim. Cada Épico tem uma fraqueza que pode ser explorada, e essa é a uma das razões para David entrar no grupo de combate a eles: ele acredita conhecer a fraqueza do Coração de Aço.

A escrita de Sanderson é muito boa. O ritmo que ele dita para o livro é o ponto mais alto da obra. Tudo é rápido, agitado e bem conduzido de uma cena para outra, temos toneladas de narrativa sobre a ação que ocorre dentro de cada capítulo. O autor consegue te guiar pelo universo literário de maneira a aproveitar bem todas as características do personagem principal e o mundo ao seu redor.

Pessoalmente, um problema que encontrei com ‘Coração de Aço’ é o excesso de explicação. Sanderson sente a necessidade de tentar explicar para o leitor como tudo funciona, mesmo coisas que não são críveis de maneira alguma. A tecnologia absurdamente avançada é pouco verossímil. A exemplo, J.K. Rowling, autora de Harry Potter, não perde seu tempo tentando explicar a lógica por trás das magias e como elas funcionam, mesmo assim elas soam muito mais reais àquele mundo. Às vezes, quanto mais você explica, mais você complica e menos crível fica.

O livro progride bastante com o passar dos capítulos. Parece que Brandon evolui como autor a cada página. No início, os personagens parecem ser unidimensionais: o autor usa a técnica de dividir os personagens em clichês e convenções arcaicas como ‘O Inteligente’, ‘A Bela’, ‘O Líder’, ‘O Forte’ e ‘O Descolado’ e isso simplesmente não funciona. Conforme você avança, os personagens ganham mais vida e parecem fugir do padrão . O carisma deles, embora não sejam nada de muito original, é o suficiente para que nos preocupemos com eles. Ah, e a sempre-presente-adição-desnecessária-do-romance-adolescente não toma muito espaço na trama, o que é ótimo!

O livro me pareceu bastante conclusivo, deixando pouquíssimas arestas soltas para uma continuação. Mesmo assim, as poucas brechas dão margem para uma sequência com riscos ainda maiores e um escopo ainda mais abrangente.

Fisicamente, o livro é muito bonito e bem-acabado. Com uma capa maravilhosa, arte impecável, e uma diagramação excelente, novamente temos um trabalho excelente da editora.

Por fim, Coração de Aço é um livro rápido, com uma premissa interessante e que não deve ser levado muito a sério. Com uma escrita envolvente, personagens por vezes genéricos, mas cativantes, e uma ação frenética, Sandon Branderson nos mostra que nem sempre precisamos de um livro excepcionalmente original para nos divertimos. Vamos nos preparar para onde os próximos vão nos levar.

 

 

Prós:

– Ritmo

– Premissa

Contras:

– Personagens Genéricos

– Excesso de Explicações

Editora Aleph                         2016                   392 páginas     

*Livro fornecido pela editora.