Resenha | Rumo Ao Renascimento: Novos Titãs: A Queda dos Titãs

“Simplesmente não são os Novos Titãs sem um Robin no comando”

Enquanto tentam limpar a imagem do grupo, os Titãs encontram uma nova ameaça: a dupla covarde conhecida como Mallah e Cérebro, além disso, como os Titãs se encontram contra a lei devido ao arco anterior envolvendo o Superboy, um inimigo improvável surge para atrapalhar ainda mais suas vidas, Amanda Waller, querendo que o grupo adolescente se torne parte de seu Esquadrão Suicida.

Incluindo as histórias originalmente publicadas na revista em “Teen Titans 20-24” e “Teen Titans Annual 2”, o especial mostra as últimas aventuras dos jovens heróis antes do Renascimento. Nelas, Robin Vermelho, Poderosa, Moça-Maravilha, Casamata, Ravena e Mutano enfrentam inimigos clássicos de sua galeria, como a Colmeia.

Os roteiros ficam por conta de Tony Bedard conhecido pelo seu trabalho em Exilados e Scott Lobdell de Capuz Vermelho e os Foras da Lei, a arte fica por conta da dupla Ian Churchill e Miguel Mendonça. Novos Titãs: A Queda dos Titãs chegou às bancas no começo de abril publicado pela editora Panini, no formato de encadernado capa couché, contendo 148 Páginas em papel LWC.

“Titãs unidos pela última vez?”

Apesar de ser uma coletânea com a última história da equipe mirim mais famosa de todo o Universo DC antes da reformulação da editora, com uma trama bem escrita e com uma arte acima da média, talvez seu único  problema seja na edição de número #24, onde pode ser entendido como um gigantesco spoiler para os novos leitores do Renascimento, contando uma história que acontece depois de Detective Comics # 940 (uma edição pós-renascimento), na qual a equipe está de luto por um membro caído, e relembrando suas próprias aventuras pessoais com o Titã caído que fez a diferença em suas vidas.

O encadernado, tem um passo corrido, quase como se o título estivesse correndo contra o tempo para entrar na cronologia atual, deixando o leitor perdido no meio dos diálogos contendo referências aos recentes acontecimentos do universo DC, uma publicação destinada a quem já estava acompanhando a revista dos Novos Titãs. As histórias leves combinam com a equipe, mas os vilões sem carisma deixam a leitura maçante e extremamente longa, mesmo com os desenhos dinâmicos da dupla Ian Churchill e Miguel Mendonça, intercalando entre as edições.

Pelo preço do encadernado é uma boa opção se você estiver sem o que ler e precisa de algo para passar o tempo saciando a ansiedade para o Renascimento, porem fora isso apesar da linda capa, a história deixa muito a desejar, principalmente comparando com os últimos encadernados finais dos Novos 52 publicados pela Panini nos últimos meses.

Novos Titãs: A Queda dos Titãs, é excelente para quem quer conhecer mais sobre o terceiro e considerado por muitos como o melhor Robin, Tim Drake, já que a história inteira desse arco foca nas suas habilidades como líder dos Titãs, de forma bem orgânica e crível, mostrando cada vez mais semelhanças com seu mentor, através de uma história curta e de fácil entendimento rumo ao Renascimento, onde irá abandonar a equipe dos Titãs e voltar a agir ao lado do Morcego em Gotham, na revista Detective Comics para formar uma nova e inexperiente equipe de vigilantes.

Hyader Oliveira

Estudante de Jornalismo e criador do Blog "Tocah Do Coruja", viciado em escrever sobre quadrinhos, cinema e desenhos animados. Por ser um aficionado por esse universo fantástico desde antes de aprender a ler e escrever, sempre quis saber mais sobre meus heróis favoritos garimpando de blog em blog informações e conceitos relacionados a esse universo.