Resenha | Rei Arthur – A Lenda da Espada

Dirigido Guy Ritchie, essa é  mais uma adaptação hollywoodiana do clássico conto medieval de Arthur e sua lendária espada Excalibur. Neste releitura, após o ataque mortal do vilão Vortigern (Jude Law) contra o Rei Urther (Eric Bana), o seu filho Arthur, protagonizado pelo ator Charlie Hunnam, escapa do massacre no reino e acaba sendo encontrado por uma moça de bordel, ainda criança.

Arthur cresce no beco da Inglaterra, torando-se assim o cafetão responsável de cuidar das seguranças das meninas. Após isso todos já conhecem a clássica história, ele encontra Excalibur e retira da pedra partindo atrás de vingança pela morte de sua família e em busca do seu lugar no trono que lhe é de direito.

Resultado de imagem para king arthur the legend of the sword wallpaper

O filme começa bem no primeiro ato, trazendo uma boa introdução ao personagem para quem não o conhece, boas piadas são feitas pelos personagens secundárias e o relacionamento deles com o Arthur dita boa parte do ritmo da trama. Contudo, o longa se perde no segundo ato trazendo assim uma grande “barriga”, com planos infalíveis bem bolados, treinamento para o personagem com a espada e a tradicional jornada do herói. Sem saber se focar direito para onde quer ir o diretor acaba perdendo a mão na escolha do que mostrar durante o filme.

A direção de Guy Ritchie se mostra competente no momentos de ação, porém, chega a alguns momentos de exagero, tanto na ação, quanto na maneira de contar uma história. Em alguns momentos decide colocar cenas diferenciadas para contar a história, muito parecido com o que filme Homem-Formiga (Marvel Studios) faz em certas situações, porém, aqui o recurso é utilizado de forma muito mais frequente.

Com uma ação de primeira qualidade e frenética, o filme peca ao entregar uma resolução final, com um vilão derradeiro marombeiro. Caso esteja esperando um filme com batalhas medievais intensas, efeitos especiais bonitos e aquele 3D onde espadas e elementos são jogados em sua cara é uma ótima saída para passar o tempo, apesar das falhas e da Excalibur Ex-Machina o filme se garante na diversão.