Resenha – Alien: Surgido das Sombras

Alien – Surgido das Sombras é um livro que me surpreendeu demais. Quando olhamos para adaptações, novelizações ou expansões de universos famosos já criados quase sempre é uma grande decepção: seja pelas suas limitações quanto às obras originais ou pela própria incapacidade de escritores exibirem seus pensamentos sobre algo criado por outra pessoa. Nesta obra, temos um autor que conseguiu captar com excelência toda a atmosfera dos filmes, além de ser capaz de criar uma história eficaz muito divertida.

Antes de mais nada, Alien – Surgido das Sombras nunca tem a intenção de te apresentar algo novo e essencial, surreal ou até surpreendente, sempre mostrando ser uma obra de entretenimento puro, e Tim Lebbon consegue fazer isso de maneira excelente.

O enredo é bastante simples. O planeta LV178 conhecido por ser apenas um astro para mineração está infestado de aliens que são despertados quando os mineradores entram em seu território. A nave de suporte recebe o chamado de ajuda e, inesperadamente, é atingida pela nave que estava fugindo do planeta repleta de ETs. A partir daí temos a trama dos tripulantes tentando encontrar combustível para poderem fugir em segurança. Porém esse combustível está exatamente no planeta lotado dos xenomorfos.

As memórias de Ripley e Amanda – sua filha – me pareceram deslocadas desde o início, sendo repetidas pontualmente e sem necessidade alguma. Há uma tentativa do autor em dar mais bagagem emocional à personagem e isso não surte efeito. O mesmo vale para a personagem em si e sua posição na história já que sabemos qual o resultado sua aparição terá no final, estragando bastante o elemento surpresa.

Tim Lebbon tem uma habilidade impressionante em criar cenas de ação. Em todas, é impossível você conseguir largar o livro, sendo esse um dos pontos mais altos da obra. Os cenários, o modo como os encontros com os aliens acontecem e até a criatividade para conseguir capturar a atenção do leitor devem ser aplaudidos.

O autor prefere usar capítulos bem curtos para não cansar o leitor e isso funciona de maneira brilhante. Após cenas de ação temos as quebras que trazem alívio a você e toda a trupe da Marion para logo termos outra rodada de aliens e pessoas sendo mortas novamente. E embora ele não seja um livro longo, a leitura irá voar te fazendo querer mais.

Os personagens secundários sofrem bastante com a falta de desenvolvimento adequado, sendo usados apenas como mortes fáceis para dar tensão ao livro. Essa falta de amadurecimento dos personagens é melhorada conforme as páginas passam e lá pela metade do livro você até consegue se identificar com alguns deles. Porém, é importante lembrar que eles não estão na obra para serem personagens grandes ou vitais para a série. No fim, suas caracterizações seriam irrelevantes do mesmo jeito.

A parte física também merece um grande destaque, principalmente para a capa é holográfica e chamativa. Não encontrei nenhum problema com a edição ou tradução, outro ponto positivo. Senti falta apenas de um mapa para a Marion já que os personagens constantemente falam sobre as localidades em que estão, é bastante fácil se perder geograficamente.

Se você procura um livro repleto de ação do início ao fim, que deixará seu dia mais agitado e uma leitura rápida sem que seja um desses livros que tentam demais e sabem exatamente aonde querem chegar, Alien – Surgido das Sombras é sua pedida. Um livro que sabe seu lugar e a que veio, com uma escrita suave e ao mesmo tempo cativante.

Prós:

– Ação Frenética

– Representação de Ripley

– Arte da Capa

Contras:

– Ausência de Mapa

Editora Leya                                                                  288 páginas                                                       2016