James Cameron fala novamente sobre Mulher-Maravilha

O filme da Mulher-Maravilha de Gal Gadot, com direção de Patty Jenkins foi um grande sucesso, mas em agosto descobrimos que nem todos acharam isso. O diretor, James Cameron comentou na época do lançamento que achava o filme um retrocesso, e agora em novas entrevistas ele voltou ao assunto:

“Eu reforço o que eu disse. Quer dizer, Gal Gadot foi a Miss Israel e ela estava usando aquela roupa apertada. Ela é linda de morrer. Mas para mim, isso não é revolucionário. Raquel Welch fazia isso nos anos 60. Eu disse isso usando Sarah Connor como contexto, o que Linda Hamilton criou em 1991, aquilo era algo a frente de seu tempo, ou revolucionário na época. Eu não acho que a Mulher-Maravilha esteja a frente de seu tempo porque ainda não damos esse tipo de papel para mulheres.

Linda foi ótima, ela não era um objeto sexual. Não havia nada de sexual nela. Era uma personagem angustiada, decidida e determinada. Ela era louca, determinada. Ela não estava lá para agradar ou seduzir, mas ela era protagonista e o público amava ela. Então, eu aplaudo Patty Jenkins por dirigir o filme e Hollywood por “deixar” uma mulher dirigir um blockbuster, mas eu não acho que seja revolucionário. É um bom filme, ponto. Eu fiquei chocado como minha crítica foi vista como “controversa”. Era algo óbvio para mim. Hollywood não entende as mulheres em franquias comerciais.”

Jenkins se pronunciou sobre isso e comentou que as mulheres não precisam de ter passados obscuros e nem serem problemáticas para serem fortes.

Enquanto Cameron trabalha em Avatar 2, que deve ser lançado em 18 de dezembro de 2020, Jenkins já esta com a mão na massa se preparando para Mulher-Maravilha 2, que chega em 13 de dezembro de 2019.